Quem é o presidente do Coren de Minas Gerais?

Quem é o atual presidente do Coren e do Cofen?

Betânia Santos

Betânia Santos: Atual Presidente do Cofen.

Quais os membros atuais da diretoria do Coren?

Diretoria e Plenário

  • Gestão 2021-2024.
  • DIRETORIA.
  • PRESIDENTE: Betânia Maria Pereira dos Santos – Coren-PB nº42.725.
  • VICE-PRESIDENTE:Antônio Marcos Freire Gomes – Coren-PA nº 56.302.
  • PRIMEIRA-SECRETÁRIA: Silvia Maria Neri Piedade – Coren-RO nº 92.597.
  • SEGUNDO-SECRETÁRIO: Osvaldo Albuquerque Sousa Filho – Coren-CE nº 56.145.

Quais profissionais fazem parte do Coren?

Enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem. Todos devidamente diplomados e que estejam com suas inscrições regularizadas. Tanto os profissionais quanto a sociedade em geral devem consultar o CÓDIGO DE ÉTICA, que ampara e também fiscaliza a atuação dos profissionais de Enfermagem.

Quem criou o Coren?

O Conselho Federal de Enfermagem e os Conselhos Regionais de Enfermagem existem desde 1973, quando foram criados pela Lei Nº 5.905 de 12 de julho 1973. A Lei foi assinada pelo presidente Emílio G. Médici e o ministro do Trabalho e Previdência Social, Júlio Barata.

Quem dirige o Conselho Coren?

Quem dirige o Conselho? O Conselho é dirigido pelos próprios inscritos, que por meio de eleições diretas exercem mandato por três anos.

Qual é a diferença do Cofen para o Coren?

O que são os Conselhos Regionais e qual é a diferença entre eles e o Cofen? Em resumo, os Corens, ou Conselhos Regionais de Enfermagem, têm praticamente os mesmos objetivos do Cofen, que é o Conselho Federal de Enfermagem – porém, com um alcance regional.

Quanto ganha o conselheiro do Coren?

R$ 4.899. Como a média salarial de R$ 4.899 se aproxima da realidade para você?

Quem dirige o Conselho do Coren?

Quem dirige o Conselho? O Conselho é dirigido pelos próprios inscritos, que por meio de eleições diretas exercem mandato por três anos.

O que o Coren pode fiscalizar?

O Cofen é responsável por normatizar e fiscalizar o exercício da profissão de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, zelando pela qualidade dos serviços prestados e pelo cumprimento da Lei do Exercício Profissional da Enfermagem.

Qual a Lei que rege o Coren?

LEI No 5.905, DE 12 DE JULHO DE 1973.

Dispõe sobre a criação dos Conselhos Federal e Regionais de Enfermagem e dá outras providências.

Como é composto o Coren?

O COREN-RO é dirigido por um Plenário constituído por 14 Conselheiros, sendo 8 Enfermeiros, 4 Técnicos e 2 Auxiliares de Enfermagem, eleitos pelo pleito direto, mediante voto pessoal, secreto e obrigatório dos profissionais inscritos.

O que o Coren fiscaliza?

O Conselho Regional de Enfermagem é uma entidade autônoma de interesse público, na esfera da fiscalização do exercício profissional. O objetivo primordial do Conselho é zelar pela qualidade dos serviços da Enfermagem, pelo respeito ao Código de Ética e cumprimento da Lei do Exercício Profissional.

Quanto ganha um fiscal do Coren MG?

Vagas e salários do concurso COREN-MG

Nível Superior: Contador (CR), Enfermeiro Fiscal (12+CR). Os salários variam de R$ 2.774,24 a R$ 5.483,19, com jornadas de trabalho de 30 e 40 horas semanais.

Quanto ganha um conselheiro do Coren?

R$ 4.899. Como a média salarial de R$ 4.899 se aproxima da realidade para você?

Quanto ganha um fiscal do Coren?

Salários edital Coren RO

Enfermeiro Fiscal: R$ 4.366,51.

O que te faz perder o Coren?

Ao Coren/MT cabe ainda cancelar o inscrito que tiver com muitas anuidades e taxas em atraso, de acordo com normas internas, permanecendo, porém as dívidas do inscrito. Por último, há o cancelamento a pedido, que inclui qualquer interesse pessoal.

Qual é a diferença entre Coren e Cofen?

Em resumo, os Corens, ou Conselhos Regionais de Enfermagem, têm praticamente os mesmos objetivos do Cofen, que é o Conselho Federal de Enfermagem – porém, com um alcance regional. Eles são entidades autônomas de interesse público com a função de fiscalizar o exercício profissional da enfermagem.

Quantos membros o Coren tem no total?

Art 11. Os Conselhos Regionais serão instalados em suas respectivas sedes, com cinco a vinte e um membros e outros tantos suplentes, todos de nacionalidade brasileira, na proporção de três quintos de enfermeiros e dois quintos de profissionais das demais categorias de pessoal de enfermagem reguladas em lei.